Arquivo para março, 2010

Castle ganha nova temporada

Posted in Séries, Séries EUA with tags on março 30, 2010 by Krol

Todos na redação do AM estão comemorando a notícia que foi dada pelo colunista Michael Ausiello. A série de comédia/mistério “Castle” foi renovada para uma terceira temporada com 22 episódios.

Estrelada por Nathan Fillion e Stana Katic começou com uma temparada de 10 episódios, que atualmente é exibida aqui no Brasil pela AXN, e mesmo com índices de audiência baixos ganhou uma segunda chance com 22 episódios. A aposta do canal ABC se mostrou acertada, “Castle” vem tendo índices de audiência cada vez melhores e atingiu sua melhor marca ontem nos EUA com a exibição da segunda parte de um caso que teve a participação especial de Dana Delany. Dois ótimos episódios com o melhor de Castle e Beckett.

Morre o jornalista Armando Nogueira

Posted in Esporte, TV with tags on março 29, 2010 by Krol

O jornalismo brasileiro está de luto, Armando Nogueira morreu de câncer hoje pela manhã no Rio de Janeiro. Armando é peça fundamental na criação do telejornalismo brasileiro, ele foi um dos criadores do Jornal Nacional e  Globo Repórter quando era diretor de jornalismo na TV Globo. Cobriu Copas desde 1950 e diversas Olímpiadas.

Botafoguense e apaixonado pelo esporte, Armando formou junto com Nelson Rodrigues e João Saldanha a primeira grande  mesa redonda de futebol a “Grande Resenha Facit” na TV Rio. Escreveu pérolas como “Pelé é tão perfeito que se não tivesse nascido gente, teria nascido bola.” Era um mestre da palavra, trabalhou na TV Bandeirantes, na Tv Manchete, no Sportv, onde tinha o programa “Papo com Armando Nogueira”.  Armando sempre foi identificado com esporte mas um de seus textos mais importantes foi o relato em primeira pessoa do atentado contra o jornalista Carlos Lacerda. Armando testemunhou o atentado e inovou ao escrever esse texto em primeira pessoa.

Sua importância pode ser medida não apenas por ter seu nome imortalizado no Maracanã mas também porque hoje todos os jornalistas da TV Globo estarão usando preto, não haverá música ao final dos jornais e o clássico “Boa Noite” será substituido por um “até amanhã”, tudo em honra de Armando Nogueira.

Pérolas da TV

Posted in Pérolas da tv, `Tá na rede with tags on março 28, 2010 by Krol

Essa semana Renato Russo faria 50 anos. Aqui vai o clipe original de “Será”.

Duvidou? Então toma!

Posted in Papo Aleatório, Séries, Séries EUA with tags , on março 27, 2010 by frinigeorga

Publicamos com exclusividade no Amamos a Mobília que a autora Lisa Jane Smith, responsável por diversas sagas, inclusive “Diários de Vampiro” (“The Vampire Diaries”), pretende transformar Damon Salvatore em humano em um futuro próximo. Ela não mencionou em qual livro isso aconteceria, mas contou ao AM em primeira mão a novidade.

Esse spoiler tem deixado alguns fãs bastante histéricos e alguns descrentes. Então, para calar alguns e aumentar a agonia de outros, aqui está a própria L. J. Smith contando à nossa repórter, Frini Georgakopoulos, a novidade.

Se isso realmente vai acontecer, não sabemos. A autora pode vir a mudar de idéia ou até sua editora pode “sugerir” a mudança. O próximo livro – “Shadow Souls”, sexto na série – acaba de chegar às livrarias americanas. Será que esse spoiler acontecerá nesse livro? “A Fúria”, terceiro na série, já está nas livrarias brasileiras. De qualquer maneira, você leu – e ouviu – aqui antes.

Para quem chegou agora, confira aqui a entrevista na íntegra aqui.

UPDATE: De acordo com pesquisa com pessoas que já leram Shadow Souls, o gancho para o proximo livro e exatamente esse: Damon vira humano em Shadow Souls!

Da telona para a telinha

Posted in Cinema, TV with tags on março 26, 2010 by Krol

Por Leonardo Esteves

Um personagem como Wolverine é muito grande para ficar restrito apenas a série de filmes X-Men, que ele já protagonizava. E serviu também para alçar seu ator, o australiano Hugh Jackman, ao estrelato. Wolverine é uma figura notável e com grande carisma. Dentro do universo dos quadrinhos, é um exemplo de superação.

A estréia do personagem foi em 1974, como coadjuvante num gibi do Incrível Hulk. Atualmente, a se julgar pelo filme “X-Men Origens: Wolverine”, pode-se dizer que ele tem um espaço tão grande e marcante na memória coletiva quando o monstro verde.

Wolverine é relativamente novo e talvez expresse melhor os dias de hoje do que outros heróis mais antigos ou os atuais anti–heróis. Ele é desmemoriado, insensível, violento e, acima de tudo, não exibe por muito tempo as marcas de suas feridas. Poderia ser um achado para aqueles que buscam retardar os traços que indiquem a longevidade de suas existências ou as imperfeições físicas adquiridas durante a vida. Ou uma caricatura para os povos que parecem ignorar fatos muitas vezes recentes e continuam a procurar algo (cometendo o mesmo erro, percorrendo os mesmos caminhos, não por teimosia). Wolverine é o caos em sua forma mais grotesca. Um indivíduo errante, anormal e… cativante. O espírito Wolverine está presente nas mais diversas manifestações. Ele está presente até mesmo no Big Brother Brasil, na pele de um Marcelo Dourado – que já começa a ecoar em revistas e ser visto como um exemplo torto de superação, uma aposta até mesmo para atletas, colunistas.

Um filme que trata exatamente da busca das origens de Wolverine só podia ser uma história repleta de pancadaria, maniqueísmo e grossura. A entropia racionalmente apresentada para uma platéia que se alimenta dessa violência, passa longe de uma história bem contada ou, ao menos, estimulante. Diferente do protagonista Wolverine – uma cobaia, um pobre coitado que busca encontrar uma verdade para se ater e só pode contar com o que tem de anormal para obtê-la (suas articulações metálicas pontudas) –, a platéia que vai até o fim da história (107 minutos) passa por um corpo adormecido, que não vai encontrar nada com o filme. E talvez já comece a vê-lo sabendo que não tem nada ali (sendo esse um dos grandes males do cinema americano atual).

No entanto, ocorrem semelhanças: assim como as feridas de Wolverine rapidamente se cicatrizarão, o filme logo desaparecerá da memória de quem assisti-lo. O que fica é o que já sabíamos sobre o personagem em outras pancadarias. E Wolverine é a tônica dos dias de hoje: a busca de uma identidade que certamente não vai durar. Pode durar apenas alguns meses referentes a um programa de televisão ou a uma tendência qualquer (ou apenas os 107 minutos).

“X-Men Origens: Wolverine” estréia no Telecine Premium, sábado, às 22h.

Katherine Heigl na capa da EW

Posted in Séries Brasil with tags , , , on março 25, 2010 by rscarone

A atriz Katherine Heigl é a capa da Entertainment Weekly acabando com todas as dúvidas que temos sobre a saga da saída da atriz do seriado “Grey’s Anatomy”.

“Pra mim chega,” disse a ganhadora do Emmy. “Acabamos de finalizar nosso acordo. Todos tem trabalhado muito para conseguir fechar esse ciclo de maneira graciosa a amigável e continuar a vida.”

“É triste mas é algo que eu queria.”

Bem, a balzaquiana não poderia ser mais franca. Ela revela que o problema foi de família, e não sua florescente carreira cinematográfica que a fez querer sair da série.

“Comecei uma família e isso mudou tudo,” disse Heigl que tirou três meses de folga da série nessa temporada para ficar com sua recém adotada filha, Naleigh, e agora está livre de seu contrato 18 meses antes. “Mudou meu desejo de trabalhar em tempo integral.”

Apesar da personagem estar escalada para aparecer nos últimos cinco episódios finais dessa temporada, isso não vai mais acontecer. Então, o episódio do dia 21 de janeiro foi o seu último como a Dra. Izzie Stevens.

“She was a stewardess!”

Posted in Séries EUA with tags , , , on março 25, 2010 by rscarone

"Chicken or veal?"

Sim, um reality show sobre aeromoças… Será que “Fly Girls” (sim, esse é o nome do programa) é a resposta da CW para o grande sucesso da MTV, “Jersy Shore”? Difícil dizer.

A série estreiou ontem nos EUA e nos mostra um pouco da vida de cinco aeromoças da Virgin America enquanto elas voam pelo país.

Te interessou?

Os episódios da meia hora mostrarão a vida dessas moças dividindo um lar em Los Angeles, as longas horas enquanto lidam com passageiros mal humorados e aproveitando as noitadas em lugares como Las Vegas, Miami Beach e New York. A série promete “histórias cheias de romance, família e amizades”.

“Tudo o que você verá, será verdadeiro – todos os relacionamentos, todas as reações,” disse o produtor executivo Jeff Collins. “A série em si tem muitas reviravoltas, coisas bem pessoais, e tudo é real. Você não pode inventar isso.” Não sei não. Toda vez que enfatizam a “realidade” dos reality shows, eu sempre fico com uma pulga atrás da orelha. Acho que Jeff nunca viu “The Bachelor”.